• Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Páginia Inicial Notícias Notícias Locais

Notícias Locais

Retorno do recesso parlamentar é marcado por protestos na frente da Aleac

E-mail Imprimir PDF
Os deputado estaduais do Acre não terão vida fácil no ano eleitoral. O retorno do recesso parlamentar na manhã desta terça-feira (4), foi marcado por protestos de policiais civis e integrantes do movimento do Basta, que ocuparam  hall de entrada do Poder Legislativo, com faixas e cartazes.

Os policiais civis alegam que a categoria está com salários desfasados, promoções atrasadas, data-base descumprida e efetivo insuficiente. Segundo eles, a Polícia Civil do Acre está à beira de um colapso, provocado pela intransigência dos gestores do governo do Acre.
 
Já os manifestante do movimento do Basta, protestam contra a corrupção, preconceito e a violência. De acordo com eles, “nunca houve tanta falta de moral, tanto egoísmo, tanta falta de amor e sentimento de insegurança nas cidade dos Estado”. 

manifesto_02

 

manifesto_03

 

Rio Iaco baixa 31 centímetros, segundo Defesa Civil de Sena Madureira

E-mail Imprimir PDF
Uma notícia animadora para quem mora em regiões alagadiças de Sena Madureira. A Defesa Civil Municipal confirmou mais um sinal de vazante no volume das águas do rio Iaco.
 
Foto: Vista aérea da cidade de Sena Madureira
Ontem de manhã o nível estava em 14,88 metros. Já nesta quinta-feira (23), amanheceu em 14,57 metros. De ontem para hoje choveu, segundo a D.C, 2 milímetros.
 
Neste ano o percentual mais elevado foi registrado na semana passada quando o manancial atingiu 14,94 metros, se aproximando da cota de alerta e chegando a desabrigar duas famílias no bairro Praia do Amarilio.
 
Por Edinado Gomes
Rádio Dimensão FM
 

Durante barreira de fiscalização, PM apreende três quilos de drogas próximo à Sena Madureira

E-mail Imprimir PDF
Em mais uma ação exitosa, policiais militares do 8º BPM de Sena Madureira realizaram na noite de sexta-feira (17) uma expressiva apreensão de entorpecente na BR-364,no trecho que liga Sena à capital acreana.
 
O flagrante foi registrado por volta de 22 horas na altura do km 30, próximo ao município de Sena Madureira, durante uma barreira montada pela PM. Um táxi que viajava com destino à cidade de Cruzeiro do Sul foi parado pelos policiais e mediante a realização minuciosa de uma revista, em uma mala os agentes encontraram a droga.
drogas
A droga apreendida pela Polícia Militar na BR-364
 
Foram apreendidas duas barras de maconha, que após a pesagem totalizaram dois quilos e também duas barras de oxidado de cocaína, perfazendo um quilo do produto. Além disso, a PM apreendeu ainda dinheiro em poder de três acusados.
 
Três infratores apontados como proprietários da maconha e da cocaína receberam voz de prisão. Trata-se de José Raniele da Silva Souza, 18 anos, Evanir Melo da Silva, 27 anos e um rapaz de 17 anos de idade, todos eles moradores na região do vale do Juruá.
 
O trio foi encaminhado para a Unidade de Segurança Pública de Sena Madureira para os procedimentos cabíveis.
 
Barreira na BR
 
A Polícia Militar, sob o comando do Major Emílio Virgílio, vem realizando com freqüência barreiras na BR-364 no trecho que separa Sena Madureira de Rio Branco. Com esse trabalho, várias apreensões de drogas já foram realizadas.
 
De acordo com o Major Emílio, a ação terá continuidade com o fito de repelir o tráfico de entorpecentes nessa rota.

 

 

 

MP propõe Ação para que IAPEN aumente segurança em presídio de Sena Madureira

E-mail Imprimir PDF
O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Sena Madureira, ajuizou ação civil pública de obrigação de fazer cominada com pedido liminar contra o Governo do Acre e o Instituto de Administração Penitenciária do Estado do Acre (Iapen). Por meio da ação, o MPAC pretende reverter a situação caótica que se instalou na Unidade Penitenciária Evaristo de Moraes, em Sena Madureira, promovendo medidas judiciais cabíveis que responsabilizem os requeridos pela omissão e descaso na questão e a devida reparação dos danos, visando, assim, à efetividade da segurança (interna/externa) na unidade prisional.

Por meio de inspeções realizadas no local, foram identificadas deficiências na infraestrutura carcerária, sobretudo na muralha, que serviria para que policiais militares coibissem a entrada de materiais ilícitos. Irregularidades no sistema de monitoramento interno e no aparelho de scanner também foram observadas em inquérito civil instaurado pela Promotora de Justiça Patrícia Paula dos Santos.

A infraestrutura inadequada do local também compromete a realização de rondas e os plantões efetuados nas muralhas de segurança que, segundo relatório de vistoria técnica, apresenta fissuras, destacamento e desagregação. Dessa forma, o MPAC pede a restauração, instalação elétrica, drenagem pluvial, revestimento, impermeabilização e pintura da muralha, visando à efetivação da segurança.

De acordo com Patrícia Paula, nos últimos meses, a entrada de objetos ilícitos no interior da unidade penitenciária tem sido recorrente. “Devido à falta de fiscalização na muralha, infratores costumam arremessar facas, drogas, celulares etc., que são recolhidos secretamente pelos reeducandos”, destaca a promotora, ao ressaltar que inúmeros ofícios foram enviados aos requeridos, solicitando a resolução do problema. Entretanto, nenhuma providência foi tomada.

Câmeras e scanner desativados

Constantemente, a Promotoria de Justiça de Sena Madureira recebe denúncias de agressões realizadas por agentes penitenciários ou reeducandos dentro do presídio. Porém, o registro das cenas de violência em tempo real não existe, pois o sistema de monitoramento de câmeras está, há meses, desativado, prejudicando a comprovação da veracidade dos fatos. Embora oficiados, nenhuma providência foi adotado pelos demandados. “Destaca-se que a aparelhagem custou caro ao Estado para que, agora, fique sem utilização”, pondera a promotora.

Outra agravante é o fato de o scanner do presídio estar abandonado. O equipamento permitiria a inspeção de alimentos e outros itens que entram na unidade, identificando objetos como facas e tesouras, por exemplo, sem violar pacotes ou embalagens onde estariam inseridos clandestinamente; além de acabar com os transtornos da morosidade que familiares enfrentam na espera para serem revistados; porém, por motivo desconhecido, o scanner também se encontra desativado.

Se a ação for julgada procedente, o Governo e o Iapen têm o prazo de três dias para, querendo, manifestarem-se em contraditório. A partir daí, os réus terão prazo de 60 dias para realizarem os devidos reparos e restaurações na estrutura física da unidade prisional e cumprirem as demais determinações previstas na ação, sob pena de multa diária, em caso de descumprimento das medidas.
 

Em Sena Madureira, nível do rio Iaco ultrapassa a cota de alerta e começa a preocupar famílias

E-mail Imprimir PDF
A enchente do rio Iaco ganhou força na passagem de ontem para hoje em Sena Madureira. Conforme medição realizada na manhã desta quarta-feira (15) pela Defesa Civil, o nível das águas está em 14,90 metros, excedendo em 90 centímetros a cota de alerta.
 
Nas últimas 24 horas houve um acréscimo de 1,11 metros no volume das águas. Com isso, a situação começa a ficar preocupante na terceira maior cidade do Acre.

 

cheia-iaco
Primeiras casas de Sena Madureira começam a ser atingidas pelas águas do Iaco/Foto: Agência ContilNet

 

No bairro Praia do Amarilio, a água já começou a invadir os quintais e os moradores estão bastante preocupados com a situação.
 
De acordo com o coordenador da Defesa Civil em Sena Madureira, Carlos Dávila, apesar da evolução da enchente nos últimos dias, até agora a Defesa Civil não realizou nenhuma mudança. “A recomendação inicial é de que as pessoas se abriguem em casas de parentes. No entanto, prédios públicos já foram requisitados para atender as famílias em caso de necessidade”, frisou.
 
Ainda de acordo com a D.C, de ontem para hoje choveu em torno de 13,8 milímetros na região de Sena Madureira
 
Página 2 de 405

Enquete - VOTE!!!

Qual a maior motivação para protestar em nossa cidade?