Covid-19 apareceu no fim do ano passado na cidade de Wuhan, mas as notificações diminuíram drasticamente desde o pico de fevereiro.

País registra 4,6 mil mortes e quase 83 mil infectados.

Mulheres com máscara caminham perto da entrada da Cidade Proibida, em Pequim, nesta sexta-feira (22) Roman Pilipey/AP As autoridades da China informaram neste sábado (23) que não registraram novos casos de contágio por coronavírus pela primeira vez desde que o país começou a publicar dados sobre a epidemia, em janeiro.

A doença apareceu no final de 2019 em Wuhan, no centro da China, mas os casos diminuíram drasticamente desde o pico de meados de fevereiro, e o país parece ter controlado a Covid-19.

Coronavírus na China: a escritora que relatou a vida em Wuhan e despertou a ira dos nacionalistas De acordo com o último balanço, a China tem quase 83 mil casos de contágio e 4.634 mortes.

A pandemia se espalhou para o resto do mundo, infectando mais de 5 milhões de pessoas, das quais quase 330 mil morreram.

"Alcançamos grande sucesso estratégico em nossa resposta à COVID-19", afirmou o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, na sexta-feira (22) na abertura da sessão plenária do Congresso Nacional do Povo (ANP).

Perante 3 mil deputados que usavam máscara, Li ainda destacou a "imensa tarefa" que ainda precisa ser feita.

O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, discursa durante a abertura da sessão plenária do Congresso Nacional do Povo nesta na sexta-feira (22) Ng Han Guan/AP O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusa as autoridades chinesas de terem demorado a alertar o mundo sobre a epidemia e esconder sua escala. Pequim negou as acusações de falta de transparência, dizendo que sempre compartilhou informações sobre a epidemia com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outros países. Escolas na China retomam as aulas com iniciativas criativas paras as crianças Initial plugin text