A Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure) notificou a Rede Globo extrajudicialmente por conta das críticas do Jornal Nacional a nomeação de Benedito Guimarães Aguar Neto a chefia da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Ex-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, o evangélico defende à teoria do design inteligente, que se contrapõe a chamada “teoria da evolução”, o que gerou ataques da emissora carioca, sem direito do contraditório.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADEBenedito tem graduação e mestrado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal da Paraíba, doutorado pela Universidade Técnica de Berlim e pós-doutor pela Universidade de Washington.

Para a associação evangélica, a abordagem do Jornal Nacional sobre o tema foi “depreciativa” e não ouviu “todos os atores interessados”.

Apesar de ter ouvido acadêmicos que defendem a teoria da evolução, o Jornal Nacional não buscou ouvir aqueles que defendem a teoria do design inteligente.

“A matéria veiculada deu destaque a uma fala do Dr.

Benedito, durante evento acadêmico, em que se posicionou favoravelmente à disseminação de argumentos científicos sobre a existência de um design inteligente, em contraponto à teoria da evolução”, destacou a Anajure.

Os membros da Anajure pediram então direito de resposta para que os defensores da teoria do design inteligente possam apresentar seus argumentos, baseada no artigo 5º, inciso V, da Constituição Federal, que assegura o “direito de resposta, proporcional ao agravo, além de indenização por dano material, moral ou à imagem”.